domingo, 7 de agosto de 2011

O Grito de Um Pescador, de Outros Tempos e Outros Mares...


Quem és tu que nos chamas-te até aqui!
Quem somos ,porque viemos de tão longe...
Veleiro que me trouxeste e me abandonas diariamente à minha solidão.
Com o meu bote e as minhas linhas de pesca.
Sózinho rodeado pelo mar e o céu...horas,dias,meses,tristeza imensa da minha alma.
Onde estais camaradas amigos,que não vos vejo!
Vontade de chorar sem força para mais...
Lágrimas de coragem de um dia de boa pesca.
Bote cheio de bacalhau, remo, finalmente volto ao meu veleiro.
Descarregar,escalar,salgar...pouco tempo para descansar e depois recomeçar.
Que vida esta meu pai minha mãe,tão longe de vós,do meu lugar e de minha amada.
Navegando e pescando nestas águas frias destes mares.
Pescadores,moços e verdes,todos exautos...
Águas frias que tantos tragaram e suas vidas levaram.
Tantos que por aqui ficaram,nunca mais voltaram...
Penso sempre em ti,minha família,minha terra.
Ai saudade,saudade que dói tanto no fundo do meu peito.
Grito meu que não fala e ninguém pode ouvir...
Não vejo a hora de regressar e vos abraçar...

O Mar...da Cova.

O Mar...da Cova.
Praia da cova...teu mar é imenso,tem muitas estórias para contar.Quando era criança quis alcançar o teu fim...nos meus pensamentos.O teu horizonte era a minha amante longínqua...As dunas a cama aonde um dia me iria deitar contigo...

Que dia é hoje?

Só existem dois dias no ano,em que nada se deve fazer.
Um chama-se ontem,e o outro amanhã.
Por isso hoje é o dia para amar,crer,fazer e principalmente viver...

Ponte dos Arcos...na Gala

Ponte dos Arcos...na Gala
Velha Ponte dos Arcos...Ponte da minha infãncia.Tua vida chegou ao fim...mas a tua imagem ficará sempre em mim.Olhas o rio,como quem olha o espelho da vida.Já viste alguém nascer...quem sabe!Não evitas-te que junto a ti alguém morresse.

Praia da Cova...

Praia da Cova...
O perfume do teu mar...é o presente,foi o passado e será o futuro da minha existência...